Editorial

Quando eu imaginei o personagem do Paquiderme, eu tinha saudade daquelas tirinhas do Chiclete com Banana, onde faziam uma crítica social bem como ela é, suja e doente… Aparecia bastante críticas políticas também, mas a bagunça era (e é) tão grande que a piada era generalizada a toda trupe de Brasilia. (Explico) Você desenhava um cara gordo de terno e gravata e pronto (!) Já tinha ali representado toda a escória da classe política do Brasil.

Só que hoje, isso não funciona mais tão bem… Agora, as pessoas(?) que lá nos governam, são personagens tão caricatos, mas de uma maneira tão específica e pontual que parece ter saído de um cartunista deprimido, bêbado e de humor cruel. Não da mais para generalizar. Como na Turma da Mônica do mundo bizarro tem o sujo, o que fala errado, a violenta, a gulosa, a fofoqueira e por ai vai… É engraçado e terrivelmente triste ao mesmo tempo. É uma peça cruel que desvia a atenção da verdadeira política e deixa nossas expectativas em algo melhor cada vez mais distante, pelo menos para este que está escrevendo… 

Do que nos compete nossa diversão semanal de publicar tirinhas, dicas, podcast, e editoriais esta garantida, e nosso Excelentíssimo Paquiderme Punk estará aqui para arregaçar essa sociedade e fazer pensar um pouco. Descobrir que na internet, apesar de raro, há vida inteligente e basta nos comunicarmos e ficarmos juntos e atentos aos acontecimentos que estaremos lá, para refletir ou quebrar o espelho torto na burrice dessa gente.

Avante paquidérmicos