Sexta de Livros | 1984 – George Orwell

Você já deve saber que gosto muito de podcasts e também de ler, mas ultimamente, não tenho o tempo necessário para as leituras que eu gostaria. Juntando os dois hábitos, passei a ouvir os audiolivros, e eles se tornaram uma companhia diária nos trajetos que faço de ônibus durante a semana.
Gostaria de compartilhar com você a satisfação de reler (ou ouvir um livro que já li).
O livro em questão é 1984 do fantástico escritor Geroge Orwell, o mesmo autor de A Revolução dos Bichos, Dias na Birmânia, A Caminho de Wigan e etc.

Capa do Audiolivro

1984 não é apenas um livro sobre política, mas sim uma grande alegoria de um mundo que era(e ainda é) possível existir. Os temas abordados sobre invasão de privacidade, grandes avanços tecnológicos e um sistema político ditatorial, que proporcionam o controle total dos indivíduos ajudam na manipulação da memória e consequentemente da a história de um povo. Essa é para mim a grande premissa do livro. Ele é quase que um manual didático para lembrar as pessoas de que é possível a sociedade humana cair em mãos erradas de seres com poder político e/ou econômico que estejam preparados e mancomunados uns com os outros a fim de se perpetuar no poder destruindo a memória e a história de sua sociedade (quase como os faraós do Egito Antigo que destruíam as imagens dos faraós anteriores para que seus nomes e imagens ficassem para a posteridade, apagando-os da história).

O Grande Irmão observando – e os três lemas do Partido (Guerra é Paz, Liberdade é Escravidão,

Ignorancia é Força).Big Brother (o Grande Irmão), o líder, juntamente com os camaradas do partido, fazem uso do aparato governamental para manipular informações e manter a sociedade sob controle. Através do personagem Winston, o autor nos conta a visão de uma sociedade governada pelo totalitarismo, onde todos são vigiados dia e noite (assim como o Reality Show – Big Brother – da nossa TV) . O sombrio cenário pela falta de liberdade e privacidade que Orwell nos transmite é de arrepiar!
Por falar em Winston, um cara que nem consegue se lembrar ao certo quantos anos tem, achava que tinha 39 anos, trabalhava no Departamento de Documentação do Estado e era responsável por “reescrever” a história, uma vez que ela era modificada de acordo as vontades e interesses do “Grande Irmão”. Nada passava despercebido das garras do governo: livros didáticos, revistas, jornais, tudo era modificado para atender aos interesses do Partido (do Grande Irmão).

Várias reviravoltas acontecem com os personagens ao longo da história que ao contar aqui no nosso blog, seria excessivamente desnecessário, pois estragaria as surpresas que lhe aguarda! Os conceitos apresentados e as ideias dessa civilização governada pela falta de memória e história nos fazem refletir e possivelmente vai fazer outras gerações refletirem sobre como a sociedade onde você vive está mais ou menos parecida com a história contada no livro. 1984 teve a sua primeira versão escrita em 1949, com certeza uma obra que você deve ler (ou ouvir). Ela permanece muito atual nos tempos truncados da política nacional e dos pensamentos autoritários que se sustentam no âmbito mundial atualmente.

 

Primeira Edição do livro