Editorial

Num churrasco com a galera do Paquidérmicos, surgiu o assunto sobre o personagem do nosso Elefante em questão…

Foi levantado a pauta do que, se ele é um punk dos anos 80, ele deveria ser bem mais subversivo perante a sociedade e o sistema, a indignação deveria ser bem mais física do que ideológica, talvez… Eu tive que concordar em alguns destes aspectos. Mas eu quis criar um personagem onde o punk é mais elevado do que foi a 40 anos atrás… O próprio movimento meio que implodiu, pois ele era totalmente contra a moda e nos anos novena estava virando moda, a indignação contra o sistema era o mercado principal de bandas. O punk do Paquiderme é mais um espelho que justamente reflete o contrário da sociedade.

A sociedade é violenta: ele tenta ser pacífico;

A sociedade é estúpida: ele tenta ser gentil ;

A sociedade é ignorante: ele procura estudar e se educar;

A sociedade é burra: ele é inteligente e não esquece o que já foi passado.

Ele é de fato contra, mas não quer cair na armadilha, deste contra, usar das mesmas artimanhas ou subterfúgios hipócritas que cansamos de assistir nesta sociedade doente e torta. Eu deixo essa questão mais física para o nosso querido rato Porquera, ele é mais “raiz” por assim dizer, mas também não é burro e ignorante, tanto que ele adora e prestigia a presença de seu irmão sociólogo Professor.

Então desde já peço desculpa para aqueles que queriam um Punk mais subversivo FÍSICO, ele é totalmente subversivo, mas nas ideias e reflexivo nas atitudes. A violência e a discriminação já são comuns, a burrice, ignorância e marginalização, já são padronizações e a regra e, se você notar, a moda.

Paquiderme Punk quer dar uma botinada nessa escória de sociedade… mas quer mirar bem. De olhos BEM abertos e BEM consciente.

Abraços paquidérmicos e até mais…